Mai 26, 2022 • 2M

☠️ A PRF pegou gosto por sangue

🎧 (áudio 2:17) "Eles mataram Jesus."

4
 
0:00
-2:21
Abrir no playerOuvir em);

Aparece neste episódio

Leandro Demori
Leandro Demori
Detalhes do episódio
4 comentários

🚨 ALERTA 🚨

As imagens a seguir são impactantes. Se você sofre de algum Transtorno de Estresse Pós-Traumático ou tem sensibilidade clínica a cenas de violência explícita, não assista ao vídeo.

O Brasil inteiro acordou chocado com a cena.

Dois policiais rodoviários federais prenderam um homem no bagageiro de um camburão e jogaram dentro uma bomba de gás. 

Genivaldo de Jesus tinha problemas psiquiátricos, segundo um sobrinho que estava com ele. Ficou nervoso durante a abordagem por causa dos gritos dos policiais.

Os dois agentes imobilizaram o homem, que estava desarmado. Pelas cenas, não parece oferecer perigo. Trancado no camburão, asfixiado pelo gás, Genivaldo de Jesus morreu pouco depois. A imagem é desoladora e não há como não lembrar das câmaras de gás da Alemanha nazista. O Brasil nos oferece um amostra brutal e crua de um morticínio em andamento. 


A Polícia Rodoviária Federal entra na mesma escalada de assassinatos das demais forças armadas. Em fevereiro, durante uma operação no Rio de Janeiro, participaram de uma chacina: 8 mortos. Nessa semana, outra vez no Rio de Janeiro: 26 mortos, entre eles o ex-militar da Marinha Douglas Costa Inácio Donato. Ele levava um amigo para casa depois de uma festa. Tinha um bebê de 2 meses de idade em casa.


Donato é um nome de origem religiosa que ao longo da história adquiriu o sentido de “consagrado ao Senhor”, em referência a uma criança que seria preparada desde pequena para seguir uma vida em Cristo.

A chacina de 26 mortos na Vila Cruzeiro, como bem notou a jornalista Fabiana Moraes, aconteceu na parte alta da favela, conhecida como Terra Prometida.

Genivaldo de Jesus.
Terra Prometida
Douglas Donato.

Eles mataram Donato.

Eles encheram de sangue a Terra Prometida.

Eles mataram Jesus.

Apoie meu jornalismo